Escala de Mohs: quais são os graus de dureza dos minerais?

marmorarias, rochas, pedras ornamentais
Quais são os principais grupos de clientes das marmorarias?
fevereiro 15, 2018
cores de mármore, claras, escuras
Cores de mármore: 4 dicas para escolher o melhor tom
fevereiro 15, 2018
Show all
escala de Mohs, pedras, resistência

As rochas são agregados sólidos constituídos de um ou mais minerais diferentes. O comportamento e a composição química constituintes de uma rocha alteram as propriedades da pedra em si.

Por isso, é importante saber algumas das características dos minerais e a dureza é uma delas, podendo ser de maior ou menor resistência que ele apresenta ao ser riscado ou a retirada de partículas da sua superfície.

A escala de Mohs foi estabelecida pelo mineralogista Friedrich Mohs em 1812. Ela foi montada usando 10 minerais que apresentam durezas classificadas de 1 a 10, sendo 1 o mineral mais mole e menos resistente ao risco e 10 o mineral mais duro e resistente ao risco.

Dessa forma, quanto maior for o valor na escala, maior será a capacidade de um mineral de riscar outros e menor será sua capacidade de ser riscado.

A escala

Os 10 minerais que compõem a escala de Mohs são:

  • Talco: dureza 1.
  • Gispsita: dureza 2.
  • Calcita: dureza 3.
  • Fluorita: dureza 4.
  • Apatita: dureza 5.
  • Feldspato: dureza 6.
  • Quartzo: dureza 7.
  • Topázio: dureza 8.
  • Corindón: dureza 9.
  • Diamante: dureza 10.

Para realizar a qualificação de um mineral dentro dessa escala de forma prática, é só riscá-lo com alguns materiais de dureza conhecida, como unha, moeda de cobre (dureza 2 a 3), canivete ou vidro (ambos com dureza 7).

Tanto o talco como a gipsita são facilmente riscados pela unha. A calcita pode ser riscada por uma moeda de cobre. A fluorita e apatita são riscáveis por um canivete ou vidro. Já o quartzo, topázio e corindón, sendo mais duros, conseguem riscar vidro. O diamante só pode ser riscado por ele próprio.

Como o teste dessa escala tem caráter comparativo, pois comparara a dureza de um material em relação a outro, não tem efeito quantitativo. Ele se presta como uma indicação qualitativa da dureza de um mineral, servindo para dar uma boa noção da resistência ao risco desse mineral.

Aplicação prática

Como as rochas são compostas por minerais, a aplicação da escala de Mohs pode dar uma ideia sobre a resistência das rochas aos riscos. Apesar de fatores como textura, estrutura e tipo de rocha também influenciarem muito, a composição mineralógica pode ser usada como um indicativo válido.

Associando a composição da rocha com a escala, pode-se ter um qualitativo da dureza média da rocha. Rochas compostas por minerais mais resistentes terão uma dureza qualitativa maior. É importante lembrar que a quantidade de minerais resistentes também influencia.

Dessa forma, rochas com compostas predominantemente por quartzo e feldspato, como granitos, terão uma dureza maior que aquelas com composição predominante de calcita, como é o caso dos mármores. A dureza dos mármores poderá aumentar se eles tiverem mais quantidade de quartzo em sua composição.

Por isso, ao escolher rochas ornamentais, observe a sua composição mineralógica para ter uma noção da dureza e avaliar qual rocha é mais indicada para a aplicação que você deseja. Se a aplicação a ser feita exigir a exposição a um ambiente de muita circulação de pessoas ou de atrito com materiais, as rochas com mais dureza são as mais indicadas, pois se manterão bonitas e sem riscos por mais tempo.

É importante tentar escolher sempre as mais resistentes para que o seu projeto possa brilhar, mantendo-se como novas por um tempo maior.

Se você achou estas informações interessantes, visite nosso site e conheça mais sobre os vários aspectos das rochas ornamentais.

Os comentários estão encerrados.